Saúde

Higiene


Para evitar intoxicações alimentares há que ter especial cuidado com a àgua e os alimentos crus. Beber apenas água mineral ou fervida, ou bebidas engarrafadas sem gelo.

Evitar comida comprada na rua, saladas, fruta cuja casca seja comestível, carne mal passada, peixe cru, leite e seus derivados se não estão higienizados (pasteurizados, fervidos, etc.), ovos crus ou pouco cozinhados (maionese, sobremesas, empadas com ovo...).

É importante manter higiene à mesa lavando as mãos antes de comer. Desta forma reduzir-se-ão os riscos de apanhar uma gastroentrite ou ataque de salmonelas.

O Sol


A queimadura solar apresenta-se como resultado de uma exposição prolongada aos raios solares. Os seus sintomas imediatos são dor, inflamação da pele e os danos podem ser permanentes, o que supõe um grave risco para a saúde.

Não é recomendável expor ao sol bébés e crianças menores de 5 anos. As pessoas de pele branca são as que correm maior risco de sofrerem queimaduras solares, embora as pessoas de pele mais escura possam também queimar-se, pelo que devem proteger-se.

É no período entre o meio-dia e as quatro da tarde que os raios solares apresentam mais força, pelo que recomenda-se que não haja exposição solar nesse período. O reflexo dos raios solares na areia da praia ou na neve intensificam as queimaduras.

Recomenda-se o uso de bonés ou chapéus e protector solar com filtro de protecção adequado. Não se aconselha a exposição ao sol com perfumes. Não se devem realizar exposições prolongadas, devendo apanhar sol com os cuidados necessários.

Como tratamento primário de uma queimadura solar deve aplicar-se uma loção calmante, panos frios, gel de aloé vera ou algum medicamento para as dores que não necessite de prescrição médica. Se houver sinais de desidratação, febre, bolhas.... dirigir-se imediatamente a um médico.

O calor excessivo pode provocar lipotimias e mal estar. Para prevenir golpes de calor na rua dever-se-á procurar sombras, evitando realizar trajectos largos e exercício físico nas horas de maior calor. Deve também aumentar-se a ingestão de líquidos, evitando o consumo de álcool, comidas quentes e com muitas calorias, tomar banho com frequência e utilizar roupa leve, preferentemente de algodão.

O Banho



Para desfrutar de um banho seguro deverá informar-se sobre a qualidade das águas da praia, lago ou rio que se visite, assim como sobre o perigo das suas águas. Na praia confirme a cor da bandeira: verde permite o banho, amarelo indica precaução e proibe nadar, vermelho proibe entrar na água.
Respeite sempre as indicações dos nadadores salvadores. Deve nadar sempre paralelamente à quebra das ondas sem afastar-se da praia, e tendo especial cuidado com as correntes.

Se houver rochas no espaço de rebentação das ondas na praia, respeite os sinais que as assinalam e não se atire de cabeça. Observar a água antes de entrar é uma boa maneira de evitar contusões.

Se detectar a presença de alforrecas tome precauções. Não tome banho próximo a elas, e não tente tocá-las ou tirá-las da água. Evite que as crianças brinquem com as alforrecas, e em caso de mordedura peça ajuda ao nadador salvador.

Em certas regiões os banhistas devem utilizar calçado que os proteja de mordeduras de peixes, mariscos e crustáceos, contra a dermatite provocada por corais e anémonas de mar tóxicas. Nos trópicos os cursos de água, canais, lagos, etc. podem estar infectados por larvas que penetram na pele e provocam doenças. Deverá evitar lavar-se ou banhar-se em águas que possam estar contaminadas por excrementos humanos e animais, já que podem ser vias de transmissão de infecções dos olhos, ouvidos e intestinais. Apenas são seguras as piscinas tratadas com cloro.

Mordeduras



Para prevenir as mordeduras de insectos recomenda-se a não utilização de perfumes, cosméticos, lacas.... Usar calças compridas e camisas de manga comprida. A roupa de cor clara e brilhante atrai mais os insectos, sendo preferível roupa escura ou cinzenta.

O salitre do mar e a ingestão de vitamina A actua como repelente natural, mas em zonas infestadas ou perante casos de alergia é necessário o tratamento com repelentes químicos e a utilização de mosquiteiros.

Quando acontece uma mordedura, e se a pessoa é alérgica, deverá dirigir-se a um médico de imediato. Se a pessoa não é alérgica pode tratar-se da ferida com uma solução alcalina ou um algodão empapado em água e amoníaco, ou com um cubo de gelo. Se houver um ferrão vísivel remova-o com pinças. Nunca esprema a zona nem a friccione, pois estas acções permitem uma maior penetração do veneno. Não se aconselha o uso de pomadas locais sem prescrição médica.

Animais


É conveniente evitar contacto com qualquer tipo de animais, incluídos os domésticos, já que estes poderão não estar controlados sanitariamente.

Geralmente, os animais tendem a evitar os seres humanos, mas podem atacar, sobretudo se for para proteger as suas crias.

Como reflexo de defesa as serpentes mordem e os escorpiões picam, especialmente à noite. O uso de calçado apropriado e sólido é muito importante para caminhar de noite em zonas que sejam habitat de serpentes. É conveniente examinar o calçado e a roupa antes de o vestir, sobretudo de manhã, já que as serpentes e os escorpiões têm tendência em esconder-se neles.